Blog

O rever de um mandato

Pois é, parece que chegamos ao fim de um mandato… O meu primeiro mandato enquanto presidente da JSD de Belmonte. Foram 2 anos complicados, presumo que conheças pouco da minha concelhia ou até mesmo do que nós fazemos por cá porque, a verdade, é que de facto temos pouco impacto no dia-a-dia e pouca relevância temos. Mas mesmo tendo pouca relevância, ainda vamos fazer algumas coisas. Não sabes que coisas? Então senta-te e aprecia o meu rever de mandato.

Acho que devo começar por contextualizar um pouco o meu concelho; eu sou de Belmonte, também conhecido pela sua rota judaica e pelo seu belo castelo e pelo trabalho que a Câmara vai realizando ao longo do seu mandato (bom ao mau, algo é feito; nem que seja ajudar a escola a realizar determinada atividade como foi muita vez o caso do parlamento dos jovens do qual participei 3 anos, no meu secundário). A cor partidária deste meu concelho é vermelha, é socialista e por mais que o nosso PSD tente colocar alguém no poder, torna-se muito complicado uma vez que parece que a terra é socialista das suas raízes aos seus botões mais novos e como já é mais do que certo e sabido, para se ganhar o que quer que seja, temos que ter o peito cheio e o punho no ar. Infelizmente, somos das poucas concelhias senão a única do distrito que não possui uma sede partidária, o que me complica em muito o meu trabalho; qualquer reunião que eu queira ter (houve um conselho distrital em que isso aconteceu) ou qualquer eleição que tenha que ser feita, tem que ser na nossa sede de junta de freguesia e não, não é fácil ter que lidar com estas coisas. Qualquer reunião que eu queira ter com o partido por norma é feita de forma extremamente informal e é sempre feita com apenas um membro do partido, o nosso presidente de concelhia. Mas bom, creio que já contextualizei o suficiente.

Vou agora falar um pouco daquilo que enquanto concelhia eu tentei realizar: contribuímos para peditórios de roupa realizados durante a época dos incêndios, tentei ao máximo estar presente e a representar a nossa concelhia em qualquer reunião que houvesse (embora muitas vezes a vida pessoal me atrapalhe) e acima de tudo, comprometi-me no início do ano a escrever 1 texto por mês para poder dar visibilidade e conteúdo para o blog da distrital e tentei em muitos desses textos falar de Belmonte e das situações que sobre nós se deparavam.

Foi pouco e infelizmente a culpa de tão pouca atividade é não só minha como também de membros do partido que sempre que eu me aproximava com uma nova ideia, esta era cortada pela raiz e reinventada como pouca coisa e completamente diferente da ideia original.

É pouco mas é trabalho honesto, e prometo que 2020/2022 vai ser o nosso ano de crescimento e de melhor representação a nível distrital e quem sabe senão nacional.

Se querem trabalho, votem Mafalda Carvalho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *