Notícias

JASD prestam contas

Nas passadas eleições autárquicas, a JSD Distrital de Castelo Branco viu o número de jovens do distrito aumentar nos diferentes órgãos autárquicos em cada concelho. Perto de comemorar um ano de trabalhos, cada jovem tem demonstrado a sua responsabilidade perante o desafio que lhes foi apresentado, tendo uma postura interventiva e irreverente, onde já se contam várias intervenções de iniciativa própria bastante pertinentes em assembleias municipais.

No concelho de Castelo Branco, o membro da Assembleia Municipal Miguel Barroso, na mesma de dia 28 de fevereiro, fez questão de apresentar a proposta do PSD que visa a criação de um Estatuto Fiscal para os Territórios de Baixa Densidade, que consiste num instrumento que permita aliviar a carga fiscal para pessoas e empresas que estejam no interior do país. Ainda nesta sessão, o deputado teve a oportunidade de frisar o funcionamento deficiente da ULS CB. Já em Abril, o jovem deputado falou essencialmente de atração de investimento para o concelho de Castelo Branco, apresentando números concretos de ações que estão a ser desenvolvidas noutros concelhos do interior do país. Depois do destaque que a Câmara de Castelo Branco ganhou na comunicação social, a partir de uma investigação levada a cabo pelo Jornal Público que expôs a contratação de empresas da família do Presidente da Câmara Municipal, Miguel Barroso não poupou criticas, demonstrando o profundo desconforto do seu concelho entrar nas bocas do mundo pelas piores razões, razões essas que, segundo o deputado, já não surpreendem os albicastrenses.

Hugo Lopes, jovem membro de Assembleia Municipal no concelho da Covilhã, mostrou a sua irreverência e empenho pelos jovens na passada sessão de Assembleia Municipal, onde frisou a perda de 40% dos jovens em 15 anos e a falta de difusão de informação por parte do município relevante para o exercício das funções dos deputados municipais, alertando para que esta falta de liberdade é acompanhada por uma aparente ausência do executivo. Na mesma sessão foram colocados à votação dois pontos que mereceram a atenção de Hugo Lopes: Provedor do Munícipe e o Regulamento de apoio ao associativismo. No que diz respeito ao primeiro ponto, o sentido de voto foi favorável, mas com algumas considerações construtivas relativamente à morosidade e inoperância para tal designação, bem como a foi salientada a lastima da bancada do PSD pela designação ter surgido do seio socialista. Quanto ao segundo ponto, regulamento de apoio ao associativismo, o deputado foi perentório ao elogiar a proposta de criação, mas a demonstrar o sentido de voto de abstenção da bancada do PSD, pela opacidade do documento, uma vez que o mesmo não contém os critérios, a fórmula e a verba a distribuir, restringindo a decisão para a CMC.

Já o jovem membro da Assembleia Municipal do Fundão, Cristiano Gaspar, no seguimento da vinda de Pedro Nuno Santos ao Fundão apresentou uma intervenção assente em “três pecados do PS Fundão”. Pecado 1: A ideia de marketing para cobrir falta de trabalho da Câmara Municipal, que em nada reflete o trabalho e a dedicação que o município tem tido na redução da dívida, no combate a incêndios no investimento. Pecado 2: Falta de agenda própria e oposição destrutiva por parte do PS Fundão, mesmo quando o próprio Primeiro Ministro de visita ao concelho indica o concelho como um exemplo de boas práticas a seguir. E por fim o pecado 3, a fragilização do concelho e da sua população perante visitas ao concelho evocando casos práticos que têm claramente a ver com falhas do estado. Proença-a-Nova

Em Proença-a-Nova, a jovem autarca do PSD, Daniela José, na Assembleia Municipal de fevereiro teve a oportunidade de questionar o executivo camarário acerca do ponto de situação relativamente ao Conselho Municipal de Juventude (CMJ), salientando a demora que se tem vindo a fazer notar, sob o argumento do processo continuar em processos administrativos necessários para a sua criação. Ainda na mesma sessão, a deputada teve oportunidade de questionar a inexistência de orçamento participativo e colocou-se à disposição para a apresentação de propostas. Já na sessão de abril, a deputada trouxe a debate o tema da localização e conservação dos hidrantes (bocas de incêndio e marcos de incêndio), oportuno, mais ainda com o aproximar das altas temperaturas que aumentam o risco de incêndio. A membro da Assembleia Municipal, Daniela José, terminou ao questionar se há equipamentos ajustados ao território e funcionais, com a sua localização e características diagnosticadas.

O jovem autarca Daniel Luís iniciou a sua atividade como deputado municipal na Sertã, numa sessão extraordinária que teve o intuito de ver debatida a floresta, um tema, que como o jovem deputado frisou, é bastante caro para o concelho da Sertã e que com os grandes incêndios desse verão foi colocada em causa a subsistência de muitas famílias, com especial enfoque nos jovens. E aponta como caminho para uma floresta sustentável a diversificação de atividades no setor, a formação superior de jovens sertaginenses com o intuito de desenvolver o setor através de cada uma das suas áreas de formação. No seguimento da sessão apontou estes distúrbios na floresta, como um reflexo das assimetrias territoriais vividas hoje e com os problemas que estas acarretam para o interior. As assimetrias do território e os problemas que estas implicam para os jovens, foram preocupações levadas à sessão de fevereiro por Daniel Luís, que salientou a importância de se praticarem políticas de fixação jovem para o concelho, através da inserção da varável “jovens” naquilo que é planeado para o concelho. Ainda na mesma sessão, o deputado lamentou o sucedido a um casal de idosos isolados no concelho, que por falta de telefone desde os incêndios não pôde pedir auxilio acabando a esposa por falecer. Na sessão de abril, Daniel Luís salientou a importância do 25 de Abril para as novas gerações e fez o apelo para que os jovens façam ainda mais parte dos órgãos autárquicos do concelho, ao terminar a sua intervenção fez referência ao presente dia (30 de abril) em que se assinalava o dia do associativismo juvenil, e como tal, congratulou todos os dirigentes do concelho na pessoa, dos presidentes das associações de estudantes das escolas do concelho. Na Assembleia Municipal de 25 de junho o jovem autarca invocou as recéns comemorações do dia do município (24 de junho), que foram enaltecidas com a reinauguração do edifício do Paços do Concelho. No decorrer da sessão o deputado pegou em palavras do sr. Secretário de Estado das Autarquias do Interior, para apelar a obras de renovação em diversos edifícios do município que são de grande importância para a qualidade de vida, sobretudo dos jovens. Para além do trabalho desenvolvido nas assembleias municipais, existem jovens autarcas nos diferentes órgãos que têm desempenhado um papel notável na defesa das causas daqueles que representam.

Pelo Gabinete dos JASD – Distrital Castelo Branco

Daniel Nunes Luís

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *