Blog

Crónica da Província

A preocupação com o Interior difundida pelo Partido Socialista tem tanto de revoltante como de pitoresca. Pitoresca para quem não vive, estuda ou trabalha cá e imagina que falamos de barriga cheia. Revoltante para quem todos os dias, de uma ou de outra forma, traça o seu futuro no Interior de Portugal.

Não, não somos portugueses de segunda. Arrisco dizer que talvez sejamos de terceira categoria e sobre isso mais à frente falaremos.

Ao contrário do que alguém possa fazer crer, as gentes da “província” não são menos iliteratas nem conhecem mal a realidade de Portugal. Conhecem-na melhor. Conhecem-na da pior forma: na forma de abandono. Na forma de promessas vãs e – como se fosse possível pior! – na forma de um absurdo regalar de mentiras por parte do Governo Socialista.

O exemplo mais recente é a questão das vagas para o Ensino Superior, que iriam em parte ser retiradas ao Litoral para migrarem para o Interior. E migraram de tal forma que pelo Litoral ficaram.

E se querem brincar aos números políticos, eu sugiro à Juventude Socialista que venha justificar como é que as vagas prometidas para o Ensino Superior do Interior de Portugal foram ter a outras bandas.

Por obséquio, expliquem também como é que três deputados podem sozinhos fazer aprovar um Projeto de Resolução na Assembleia da República. E se o Partido Socialista está tão ao lado do Interior, porque é que a restante bancada do PS votou contra a abolição das Portagens no A23, contribuindo para o chumbar desta proposta.

Mais uma questão a aclarar: apoiaram o chumbo da proposta por não ser sua? É que, convenhamos, já se vem tornando hábito, pelos lados de São Bento, chumbar propostas para, depois, as voltar a apresentar com chancela rosa e fazer figura de bonzinho. Como ficará a relação melodramática geringoçal após tamanha pancada? Nem quero colocar a hipótese do PCP e do BE, restantes membros do “tripé” alinharem nesta jigajoga.

Aproveitem também para explicar como raio se baixam valores de portagens em 2016 e elas cavalgam novamente em 2018. Deve ser interessante de se analisar o ridículo que por aí virá.

Vai sendo tempo de o Interior se fartar de dar a outra face. O Interior irá, com certeza, dar um murro na mesa. E não haverá crachás, bonés e bandeiras que valham ao PS.

É que, como se diz por cá (e talvez tenha caído em desuso, por vergonha, em São Bento), mais depressa se apanha um mentiroso do que um coxo. Coxa sempre foi a coligação geringoçal que nos Governa. E de mentiras, já cá anda o povo farto. E o povo é pacífico, mas não esquece. E de terceira é mesmo este Governo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *