Blog

Continuar no rumo certo

No passado sábado, dia 7 de Julho, os militantes do distrito de Castelo Branco foram chamados a decidir sobre a liderança da Comissão Política Distrital do Partido Social Democrata. De um lado apresentava-se Manuel Frexes, deputado à Assembleia da República e líder da distrital beirã desde 2014, que corria atrás de um terceiro e último mandato; do outro, Paulo Moradias, candidato à presidência da Câmara de Castelo Branco em 2013, ex-vereador da mesma Câmara Municipal e actual conselheiro nacional do PSD. No final, as urnas ditaram o resultado que se esperava: os militantes não acharam que estava na hora de mudar, decidindo continuar no rumo certo. Antes de começar a análise destas eleições distritais, nunca é demais frisar que a opinião expressa neste artigo é exclusivamente minha. A análise dos factos apresentada advém, unicamente, daquela que é a minha leitura do que se passou no dia 7 e durante a campanha.

Antes de analisarmos os resultados, importa falar sobre a campanha. E se podemos falar em algum tipo de campanha é – também – graças às iniciativas promovidas pela JSD Distrital de Castelo Branco. Através da sua nova rúbrica “Politicamente Falando”, a nossa estrutura entrevistou em directo ambos os candidatos, dando-lhes assim a oportunidade de apresentarem as linhas orientadoras dos seus programas, ao mesmo tempo que respondiam às mais diversas perguntas dos internautas. Vale a pena realçar a coragem que ambos demonstraram ao submeter-se a este desafio, tendo sido confrontados com um conjunto alargado de duras, mas sempre pertinentes, questões colocadas pelos militantes “Jotas” do distrito. Irreverentes e audazes, é esta a nossa forma de estar activamente na política. Para além das entrevistas, cada candidato teve direito à submissão de um artigo no blog #AquiEntreNós, realçando as melhores qualidades de cada um dos projectos e apelando ao voto de cada militante. A JSD não se limitou a reunir presencialmente uma ou duas dúzias de companheiros para ouvirem os candidatos. Fê-lo publicamente, inovando e digitalizando, com transparência.

Formato à parte, quer seja em discurso escrito no blog, quer seja na amena conversa em directo na Internet, não podemos ter receio de sublinhar aquele que é o facto mais importante de todo esta campanha: as principais bandeiras defendidas, quer por Manuel Frexes, quer por Paulo Moradias, representam todas elas temas trabalhados pela JSD Distrital. A nossa visão política vai muito para além dos discursos bonitos e inflamados; a nossa forma de trabalhar pela sociedade não se coaduna nunca com guerras ou críticas pouco construtivas, infelizmente tão frequentes no Partido. Pensamos e trabalhos os temas mais pertinentes, colocamos todo o nosso empenho na resolução dos problemas mais graves do nosso distrito, da nossa região e do nosso país. Não resisto a uma pequena provocação: de facto, os jovens são mesmo o futuro. Eis aqui a prova construtiva de tal afirmação. Estamos, sem dúvida, muito à frente do nosso tempo e preparamos um futuro melhor para as próximas gerações.

Passemos então ao dia das eleições e aos resultados do escrutínio. Após uma participação que podemos classificar como “interessante” (60% dos militantes compareceram nas urnas), Manuel Frexes foi eleito com cerca de 72% dos votos, enquanto que Paulo Moradias se quedou com cerca de 27% das preferências. A candidatura de Manuel Frexes, sob o lema “No Rumo Certo”, saiu vencedora em 9 das 11 concelhias do distrito de Castelo Branco. A candidatura derrota, sob o lema “Hora de Mudar”, conseguiu arrecadar a vitória nas concelhias de Idanha e Vila Velha de Rodão.

Apurados que estão os resultados, assim mandam as regras que se ditem os grandes vencedores da noite. O primeiro nome é evidente: Manuel Frexes entra agora num terceiro mandato com a confiança renovada dos militantes do nosso distrito. Apesar dos maus resultados do PSD nos dois últimos dois actos autárquicos, o deputado com origens fundanenses consegue manter-se à frente do leme “laranja” em Castelo Branco. Sabe que não terá tarefa nada fácil daqui para a frente, sobretudo pelas legislativas que enfrentaremos em 2019 e que se adivinham espinhosas para o PSD. Essa será, sem dúvida, a sua primeira prova de fogo: de que forma conseguirá negociar com a Comissão Política Nacional a representação das várias estruturas do distrito na lista a deputados à Assembleia por Castelo Branco.

Para além de Manuel Frexes, há três outros militantes que se perfilam como grandes vencedores destas eleições: Luís Santos, atual Presidente da Comissão Política da Secção da Covilhã e re-eleito Secretário da Distrital, Hugo Lopes, o incontornável líder da JSD Distrital de Castelo Branco e finalmente Carlos Almeida, reeleito líder da Secção de Castelo Branco. Frexes usou boa parte do seu tempo de antena para afirmar que estava já neste momento a preparar o futuro, que o que mais lhe importava agora era usar o próximo mandato para construir uma base que pudesse continuar o trabalho desenvolvido até então. Ora, o jovem líder do PSD da Covilhã tem sido um dos elementos mais próximo de Manuel Frexes, acumulando o trabalho que tem feito na distrital do Partido com uma vasta experiência política na JSD, onde foi Presidente da Concelhia de Castelo Branco e director do gabinete de estudos da Distrital. A liderança da importante concelhia da Covilhã  e o dinamismo que lhe imprimiu trouxe-lhe ainda mais destaque dentro do partido no distrito, sendo hoje um dos nomes com mais peso dentro do nosso PSD Distrital.

Quanto ao Hugo Lopes, acaba por conquistar o triplet nestas eleições. Primeiro, foi a sua JSD a pautar o ritmo destas eleições, com as já referidas ações de inovação no “Politicamente Falando” e no #AquiEntreNós. Segundo, vê aumentar em muito o número de elementos da JSD eleitos para os novos órgãos distritais do PSD, sem que tenha tido necessidade de figurar ele próprio em algum cargo. Há ainda a salientar a presença de “Jotas”  ligados à sua Distrital em ambas as listas, facto bem representativo da liberdade, autonomia e respeito pela convicção individual que existe no seio desta JSD. Foi graças a esse trabalho da estrutura, de todos, que houve um tão grande rejuvenescimento dos eleitos do PSD Distrital nestas eleições – mesmo que ainda não tanto quanto desejável. A JSD poderá ser agora, ainda mais, a voz dos jovens junto do Partido. Por último, e talvez mais importante, assistiu de camarote a um piscar de olho constante de ambos os candidatos à JSD. Manuel Frexes fez toda a sua campanha a falar nos jovens, na JSD e a citar bandeiras ou frases da nossa estrutura (“os jovens não têm que ser apenas o futuro, mas também o presente”, quantas vezes ouvimos o Hugo dizer isto?). Da mesma forma, na apresentação da sua candidatura, noticia o Diário Digital de Castelo Branco, Paulo Moradias chegou mesmo a afirmar que a Distrital da JSD apresentava mais trabalho no distrito que o PSD, a juntar aos elogios vários nas suas apresentações de candidatura aos militantes. O PSD só recolherá benefícios de uma relação próxima e de apoio à JSD, e tanto Frexes como Moradias sabiam isso muito bem. Esta é mais uma prova da grande marca que actual equipa da JSD Distrital de Castelo Branco tem deixado no terreno. Esperamos agora que esta aproximação de facto se concretize, que possamos ver os jovens nos lugares que eles merecem e com a representação que souberam conquistar através do seu trabalho.

Carlos Almeida, por seu turno, consegue uma clara vitória na sua concelhia e prepara-se agora para novo mandato de dois anos. Depois de no ano passado ter conquistado uma percentagem maior de votos que Paulo Moradias na corrida à Câmara Municipal de Castelo Branco, Carlos Almeida ganha novo fôlego para as próximas batalhas. Note-se que Carlos Almeida teve, só em Castelo Branco, quase o mesmo número de votos que Paulo Moradias, mas este último em todo o distrito junto. Numa altura em que novas notícias surgiram sobre a conduta do actual presidente da Câmara albicastrense, a antes remota hipótese de o PSD chegar ao poder na capital do distrito começa agora a tornar-se um cenário a ter seriamente em conta.

Se falei destas três figuras do PSD no nosso distrito, é porque não restam dúvidas que após estas eleições os três estarão na fila da frente para suceder a Manuel Frexes na liderança da estrutura distrital. Cada um no seu devido momento, como é óbvio.

Glória aos vencedores, honra aos vencidos. Foi com estas palavras que a JSD iniciou a sua intervenção no pós-eleições (mais uma vez, a “Jota” a pautar o ritmo dos acontecimentos), e é precisamente com as mesmas palavras que termino. A ambos os candidatos resta-nos a nossa palavra de profundo agradecimento pela disponibilidade que demonstraram para servir o PSD Distrital de Castelo Branco, numa altura tão difícil para o nosso partido e para o nosso distrito. Agora, é hora de colocar de parte as diferenças e colocar mãos à obra. Os desafios que temos pela frente são mais difíceis que nunca. É preciso sair para rua, é preciso encetar o combate. É preciso ganhar eleições, mas é preciso sobretudo trabalhar em prol das nossas gentes e combater os problemas que todos os dias o Interior nos teima em colocar. É preciso, a partir de agora, fazer da Interioridade uma verdadeira Oportunidade.

Este artigo vincula a opinião do seu autor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *