Notícias

MARIA HORTENSE APRESENTA: EU VOU A TODAS

Screen Shot 2018-03-22 at 02.57.10

JSD Distrital Castelo Branco denuncia ingerência do PS na autonomia do IPCB

A preocupação de Maria Hortense Martins em relação a matérias de Ensino Superior no distrito de Castelo Branco tem sido “poucochinha”, exceto em atos eleitorais. Mas eis que, de repente, Maria Hortense acordou para a importância do IPCB-Instituto Politécnico de Castelo Branco! Afinal, existe matéria de interesse nesta instituição para Maria Hortense. Seria a sua dificuldade na captação de discentes? Seriam as verbas transferidas pelo Orçamento do Estado? Não. Eram as eleições para a presidência do Conselho de Gestão e a possibilidade de um militante do PS vir a dirigir o Instituto!

Numa entrevista ao Flagrante Direto da Rádio Cova da Beira, Maria Hortense garante que “foi dado todo o apoio à candidatura de Valter Lemos ao IPCB” (https://goo.gl/qNopqT). Ao referir peremptoriamente que este militante do PS “contou com todo o apoio”, Maria Hortense não tem pejo em relacionar a demissão de Valter Lemos da Assembleia Municipal de Castelo Branco com a derrota deste candidato à presidência do IPCB. Estas declarações demostram cabalmente a promiscuidade e o intrometimento partidário em eleições internas numa Instituição de Ensino Superior (IES) pública!

A JSD Distrital Castelo Branco sempre teve o maior respeito por todas as organizações políticas que procurem defender a região. É verdade que Maria Hortense é sobejamente conhecida pela ausência das intervenções em defesa das IES da região. Porém, até hoje, nunca criticámos Maria Hortense por parcamente se lhe encontrarem pronuncias sobre, por exemplo, a precariedade no emprego científico; sobre a reorganização da rede de ensino superior, que poderia capitalizar a Beira Interior para um patamar de excelência e dimensão superior, competindo com as maiores instituições do país; ou, ainda, sobre os problemas de cariz social e financeiro que afetam milhares de alunos da UBI e do IPCB. Com efeito, só num belo cenário inexistente – e, portanto, onírico – é que Maria Hortense teria alertado o seu Governo pelo que fez com o programa +Superior, uma verdadeira ferramenta de captação de estudantes para o Interior, ou pelo subfinanciamento crónico das nossas IES. Maria Hortense não se preocupou, no atual mandato, reunir regularmente com estas IES, nem com o facto de o PS ter deixado na “gaveta” a fórmula de financiamento das IES preparada pelo anterior Governo, que beneficiaria a UBI e o IPCB, em vez de as remeter para o atual subfinanciamento crónico, situação por dezenas de vezes – e por todas as vias possíveis – denunciada pela JSD Distrital Castelo Branco. Só muito posteriormente e perante uma situação de calamidade orçamental – mas nem assim desprovido de elogio – isto foi referido em Assembleia da República por um dos deputados do PS eleitos pelo distrito (que, curiosamente, não foi Maria Hortense).

Procuramos fazer política pela positiva, sem falar mal de ninguém e apresentando propostas concretas para o desenvolvimento da região, do Interior e do país. No entanto, não podemos deixar de denunciar este atentado flagrante à autonomia de uma instituição pública. O Ensino Superior é também uma casa da democracia e da liberdade, não local para apoios políticos ou tentativas de controlo partidário. O Ensino Superior não forma apenas cientificamente, mas dota a população de sentido crítico e espírito empreendedor. Não admitimos, por conseguinte, que seja usado como peão estratégico para os interesses de qualquer partido político. E fazemo-lo depois de anos em que comprovámos estar na primeira fila para suprir as necessidades do IPCB e da UBI, auscultando-os e defendendo-os – patente numa série de moções, intervenções, cartas ao Ministro da Tutela, propostas e medidas concretas e, mais recentemente, no âmbito do projeto político #AgoraInterior.

É vergonhoso que Maria Hortense tenha misturado desta forma dois temas que, para o bem de todos, se querem sempre bem separados, razão que nos leva a terminar lançando a Maria Hortense o desafio de responder aos cidadãos: afinal, de quem foi esta foi derrota? Quem perdeu as eleições para o IPCB, Valter Lemos ou a própria Federação Distrital do PS de Castelo Branco?

19 de março de 2019,

A Comissão Política Distrital da JSD de Castelo Branco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *