Blog

A social-democracia…

A social-democracia é uma ideologia política que se fundamenta na recolha de impostos de carácter progressivo, que são fonte de rendimento do Estado, para aplicar em políticas públicas capazes de fomentar a igualdade de oportunidades entre todos os cidadãos. No actual espectro político português, a social-democracia traduz-se, justamente, na redistribuição da riqueza pelo Estado. Contudo, a social-democracia de hoje não é a mesma de outrora!

O PSD é um partido que, desde a sua criação, se alicerça na social-democracia. Mas esta social-democracia em que o partido se baseia é diferente da tradicional social-democracia europeia. O PSD é um partido de centro-direita! E o PS é um partido de centro-esquerda! Não se pode confundir a matriz social-democrata do PSD com a ideologia política, por exemplo do partido social democrata alemão.

A social-democracia é fenomenal desde que haja dinheiro nos cofres públicos. Porque só havendo dinheiro é que se pode ser social-democrata ao mais alto nível! Veja-se a situação de pré-colapso económico-financeiro que Portugal conheceu e, o consequente resgate financeiro que justificou a mais alta carga de impostos em Portugal, motivada pela má governação do Partido Socialista. Numa situação como aquela que Portugal atravessou seria absolutamente impossível ser um governante social-democrata, daí que Passos Coelho fora rotulado como um “neo-liberal”. Seria impossível, aumentar salários, pensões, contratar funcionários públicos… Enfim seria impossível ser um governante social-democrata tendo em conta as graves circunstâncias em que o país se encontrava.  As graves debilidades de que o Estado padecia tornavam impossíveis a aplicação de medidas que fossem queridas à social-democracia, por uma simples razão- não havia dinheiro!

Uma coisa é certa, o PSD é um partido social-democrata! Mas para o poder demonstrar tem de governar também em períodos de ascensão e progresso económico-financeiro e não apenas ser chamado a governar quando a ameaça, a rotura e o declínio do sistema financeiro é iminente, não lhe permitindo pôr em prática as políticas públicas que sejam capazes de criar a igualdade de oportunidades entre todos os cidadãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *