Blog

A Covilhã e a Serra da Estrela

Localizada no sistema montanhoso Montejunto-estrela, a Serra da Estrela integra, no seu território, grande porção do concelho da Covilhã. Contudo, não devemos ser egoístas e observar a Estrela como sendo só nossa. A Serra da Estrela pertence aos portugueses e cabe-nos a nós, covilhanenses, e a todos os outros cidadãos dos concelhos integrados, trabalhá-la e apresentá-la ao mundo. É, de facto, um privilégio tê-la aqui tão perto.

No entanto, não fiquemos encantados, como quem tem um diamante e não o quer esculpir, receando que se parta. A Serra da Estrela tem vários problemas, entre os quais, a falta de trilhos para os diversos meios de locomoção, zonas de lazer pré-definidas e pontos panorâmicos e culturais. Deixemos um parágrafo para abordarmos a questão de um futuro centro comercial direcionado aos produtos regionais. Neste momento, a nossa imaginação já percorre a confusão enorme e sem sentido de quem entra na torre, quando somos confrontados com um pino em cimento muito pouco elegante, sem qualquer tipo de informação, e duas “bolas gigantes”. A nossa criatividade flutua sobre a mística que se poderá atribuir àquele edifício e, quando o encaramos para saciar a nossa curiosidade, rapidamente somos forçados a entrar no centro comercial deste local. Aqui o caos instala-se e pensamos: como é que aqueles comerciantes, muito simpáticos, se conseguem conciliar, dado que vendem todos os mesmos produtos?

A  confusão dos clientes, após terem provado diversos produtos alimentares serranos, está em não se decidirem se estão a ser ludibriados pelo vendedor ou se renderam ao sabor e à aparência destes singelos produtos. Por fim, é tempo de nos sentarmos e apreciar um delicioso chocolate quente, sem que o conforto e chocolate quente reinem por estas paragens.

PAREM, PENSEM!

Sem querermos, tivemos todos a mesma visão: uma senhora Torre da Serra da Estrela mais elegante e turística, com as “bolas” visitáveis e com informação regional e cultural; e, quiçá, um centro comercial mais organizado e com uma melhor apresentação, onde encontremos os mais diversos produtos que nos caraterizam, bem como uma zona de restauração que nos sacie o corpo e a alma; e, até, porque não, um restaurante panorâmico.

Pois é, mas não podemos falar do desenvolvimento da “nossa Estrela” sem falar das complexidades burocráticas do seu parque natural. Por um lado, salvaguarda-se a sua preservação, e, por outro, tenta estagnar o seu espaço, tornando-o velho e imutável.

  – Queridos senhores que protegem o Parque Natural, os covilhanenses agradecem o vosso empenho e apreciam a sua determinação, mas não será isto que impede que todos nós apreciemos a verdadeira essência da Serra para além da flora e da fauna? O vosso empenho provoca desorientações em massa naqueles “fins de semanas loucos“, resultando em maiores focos de resíduos. Não vos queremos incomodar, apenas apresentámos a ideia de que os pontos turísticos bem executados permitem uma melhor gestão de resíduos e proteção da natureza, com uma distribuição de caixotes de lixo pelo grande parque natural e organização da sua recolha.

Para finalizar a nossa juvenil e ingénua intervenção, apelamos para que os Reis da Estrela e o nosso carismático Governo se harmonizem! Podendo este conceder um fundo proveitoso para construirmos os nossos teleféricos, uma vez que a “pesada neve nos impede de alcançar o exlíbris da região. Não somos nós, Sra. Merkel, aos olhos da Europa, um ponto turístico? Se durante o Verão investimos tanto, e bem, na nossa extensa costa, porque não aproveitamos para que, durante o inverno, possamos usufruir de uma estância com requisitos também europeístas? Mais, toda a região envolvida teria integrado no seu desporto escolar a formação em Ski/Snowboard, de modo a todos nós contribuíssemos para a referência da nossa querida Estrela. E só assim, em bola de neve, como resultado de uma união regional, conseguimos chamar a atenção de todos!

Falo em representação da JSD Covilhã, pois sei o quanto gostaria de colaborar neste projeto e apoiar as iniciativas que promovam esta janela de oportunidades para o nosso concelho. A Serra da Estrela é, e deve ser, para a Covilhã, um dos seus ícones. Será raro o covilhanense que não olhe para este magnífico recurso natural como uma singular potencialidade para Portugal e para a Europa, mas o futuro depende de nós – só de nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *